Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Loja
  • Envie seu texto
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Satanismo Rituais Satânicos Ritual do Pentagrama Invertido

Ritual do Pentagrama Invertido


Morbitvs Vividvs

 

Este é um ritual clássico da magia ocidental, conhecido como ritual do pentagrama cabalístico, porém modificado de forma a adequar-se a realidade da Nova Era Satânica promulgada pelo satanista.  Minha intenção futura é a de escrever um livro todo, exclusivamente dedicado, à prática dos rituais satânicos, mas a verdade é que equipado com os três principais rito de Lavey, encontrados na Bíblia Satânica e este ritual do pentagrama invertido todo o satanista está munido de armas suficientes para resolver a imensa maioria de seus dilemas. Além disso é importante acostumar-se com segurança à prática mágica, antes de a alçar vôos mais ousados.

 
 

Preâmbulo

É extremamente recomendado que se imprima este artigo e estude com cuidado ese ritual antes de executá-lo. Dentro do templo satânico, da câmara de descompressão, a realidade é outra, esta mentalidade é necessária para um eficaz processo mágico. Desta forma não se deve aproximar da câmara ritual levianamente mas sim com todo o respeito que a prática mágica merece.

O Ritual do Pentagrama Invertido (RPI) existe para que preceda e encerre toda  espécie de ritual praticada pelo satanista, salvo ocasiões em que o próprio ritual não aconselhe este procedimento. Isso é porque, em primeiro lugar, o RPI serve para revitalizar as forças psíquicas do praticante colocando-o em uma postura mental adequada e preparando-o para o ritual propriamente dito. É como se os pentagramas abrissem os portais do Inferno, para onde o satanista vai com a intenção de fazer a sua magia.

 
 

Servindo de abertura e fechamento para todos os outros rituais, o RPI têm ainda uma característica de permitir que o satanista possa, com total eficiência, expulsar do templo satânico qualquer influência psíquica danosa e higienizar o espaço ritual contra os efeitos de seus próprios erros. Em outras palavras: este ritual limpa o templo para que o possamos sujar. Assim, este é, antes de tudo, um ritual de consagração do espaço ritual.

 
 

Contudo o Ritual do Pentagrama Invertido é também um rito útil por si só, já que é também um ritual de invocação/banimento capaz de solucionar grande parte dos possíveis problemas cotidianos. Quando realizado de forma como invocação ele pode trazer para a realidade do satanista aquilo que ele almeja para si mesmo, em especial características de seu próprio corpo/mente/comportamento que gostaria de adquirir. Quando usado como banimento ele pode destruir pensamentos obsedantes e perturbadores. Os procedimentos específicos de invocação e banimento são explicados mais à frente.
O Ritual do Pentagrama Invertido é dividido em cinco etapas. Inicialmente todo processo parecerá um pouco confuso mas com o tempo o praticante adquire a maestria e com ela a perfeição dos resultados.

 
 

As cinco partes do ritual são:

 
  1. O Estabelecimento da Árvore da Vida;
  2. A Invocação/Banimento com os Príncipes Coroados do Inferno;
  3. Conjuração dos Quatro Demônios Dirigentes;
  4. Invocação a Satã;
  5. Encerramento.
 


 
 

1. O Estabelecimento da Árvore da Vida

 
 


O Estabelecimento da Arvore da Vida acontece quando o satanista desenha uma cruz negra através de alguns pontos espalhados pelo seu corpo. Enquanto executar os gestos o praticante deve visualizar fortemente uma linha de luz negra brilhante acompanhando o movimento das mãos.

 
 

Caso seja um ritual de invocação normal, recita-se inicialmente a décima oitava chave enoquiana, tal como consta na Bíblia Satânica. Caso seja um ritual de banimento usa-se de preferência a décima sétima chave.

 
 

Com o dedo indicador e médios da mão esquerda unidos toque o meio da testa e diga: “OIAD “, (a divindade). Siga então da testa para a área genital e diga: “MOLAP”, (o humano). Ao fazer isso, deve-se visualizar um feixe de luz negra brilhando do topo da cabeça  e descendo até a planta dos pés.

 
 

Direcione depois, os dedos indicador e médio da mão direita até o ombro esquerdo e diga: “BAEOUIB” (severidade, ódio).  Mantenha a mão nesta posição e com o dedo indicador e médio da mão esquerda toque o ombro direito e diga: “IEHUSOZ” (indulgência, amor). Ao fazer isso visualize uma luz da mesma natureza da anterior indo do ombro direito para o esquerdo.

 
 

Se feito corretamente agora o praticante deve estar com os braços entrecruzados semelhante aos braços de um faraó no sarcófago. Mantenha-se assim em silêncio por um curto período e então com uma das mãos entrelaçando os dedos na altura do peito e diga: “GAHOACHMA” (“Eu sou aquele que é foi e será, eu sou o que sou)

 
 

Visualize então  uma cobra vermelha ou negra, as cores vibrando, enrolando-se na cruz formada e subindo por ela até que esteja com a cabeça próxima a sua testa e o rabo próximo a seu órgão genital. No rosto da cobra a palavra escrita é “Baphomet”

 
 

2. Os Quatro Príncipes Coroados do Inferno

 

 

 

Tanto as  invocações como os banimentos, são feitos traçando os pentagramas invertidos ao redor do satanista, recitando o nome de cada um dos Quatro Príncipes Coroados do Inferno em cada uma das direções.

 
 

Comece pelo Oeste e trace o pentagrama inverso com o dedo indicador da mão esquerda, terminando visualize-o fortemente como se estivesse queimando, mas não sendo consumido, por um fogo intenso, imagine que ele é feito de fogo. Então dê um passo para frente esticando os dois braços com as palmas voltadas para fora e entoe: “Leviatã”. Após vibrar o nome do Coroado Príncipe do Inferno visualize o pentagrama inverso flamejante ampliando-se e enchendo de chamas a sua respectiva direção.

 
 

Prossiga em sentido anti-horário, voltando-se para o Sul, para o Leste e então para o Norte. Em cada ponto cardeal repita o procedimento anterior, mas invocando o nome do Príncipe regente do quadrante em que se encontrar. No sul entoe: “Satã”. No leste chame “Lúcifer” e no norte invoque “Belial”. Se puder invocá-los com suas próprias palavras de chamamento, tanto melhor será para o ritual.

 
 

Pentagrama Invertido é sempre traçado começando pela parte inferior e terminando por ela, representando assim a existência vital e o materialismo do Satanismo. Nos rituais de invocação, onde se deseja atrair alguma coisa para o praticante, o traçar começa pelo lado esquerdo. Já nos rituais de banimento o pentagrama satânico e traçado começando pelo seu lado direito.

 
 
 

Pentagrama Invertido

 
 
 

NOTAS IMPORTANTES:

 
 

Em casos de invocação especifica:

 
 

Caso o RPI não esteja sendo usado para abrir ou fechar um ritual, mas servindo ele mesmo como uma invocação, então ao traçar cada pentagrama o satanista deve em, primeiro lugar, dar uma forma ao seu desejo. Visualiza-se então essa forma dentro do pentágono de cada um dos pentagramas flamejantes. Após entoar o nome de cada príncipe coroado do inferno imagine o pentagrama flamejante ampliando-se em fogo para sua respectiva direção, enquanto isso seu conteúdo projeta-se em direção do corpo do praticante. O satanista então absorve esta forma como parte de si mesmo. Aceite a forma como uma parte de seu universo interior agora, e sinta que aquilo que almejava tornou-se uma realidade inerente a seu universo interior.

 
 


Em casos de banimento específico:

 
 

Caso se esteja fazendo o RPI para afastar algum obstáculo, comportamento ou idéia maléfica para os fins do satanista, este deve também, em primeiro lugar, dar uma forma que possa ser visualizada para sua obsessão. Essa forma deve ser posta logo atrás de cada pentagrama flamejante. Após vibrar o nome do Coroado Príncipe Infernal imagine o pentagrama ampliando seu fogo em direção ao infinito de modo a consumir em chamas e destruir a forma em questão. Veja ela sendo desintegrada de sua mente pelas forças dos quatro príncipes infernais.

 
 

 

 
 

3. Os Quatro Demônios Dirigentes

 
 


Tendo traçado e ampliado os quatro pentagramas invertidos, volte-se para o Leste e abra seus braços para os lados; invoque os quatro demônios dirigentes do templo satânico recitando:

 
 

 
Diante e mim, Ariton!

 
 

Atrás de mim, Oriens!

 
 

A minha direita, Paymon!

 
 

A minha esquerda, Amaymon!

 
 

Ao meu redor, brilham os pentagramas!

 
 

No pilar central, brilha a estrela de seis raios!

 
 
 

Depois de fazer esta invocação imagine um triângulo invertido sobre sua cabeça. Este triângulo deve ser negro como a mais densa escuridão e deve conter em cada vértice,  três letras: “TEM” no vértice esquerdo, “OHP”, no vertice direito, e “AHB” no ápice. Em seu centro deve estar escrito: “BHAPHOMET”

 
 
 

4. Invocação a Satã

 
 
 

Virado para o Oeste, o satanista deve agora recitar a seguinte invocação a  Satã, enquanto sustenta com sua mão esquerda o Sinal de Shaitan (dedo  médio anelar e polegar flexionados  e dedo mindinho e indicador em riste). Durante esta  invocação o satanista deve visualizar Satã de uma forma altamente realista. A iconografia específica, seja ela como o anjo rebelde, como um sátiro diabólico ou como uma serpente não é particularmente importante, mas sim a identificação pessoal da forma imaginada com o arquétipo satânico, na mente do praticante.

 
 

 
In Nomine Magni Dei Nostri

 
 

Satana-Luciferi Excelsi

 
 

Introibo ad altare Domini Inferi

 
 

Qui regit terram

 
 

Domini Satannas Rex Infernus!

 
 


Tradução:

 
 

Em nome de nosso grande deus,

 
 

Satannas Lúcifer altíssimo,

 
 

eu entrarei no altar do Senhor do Inferno

 
 

que rege a Terra.

 
 

Senhor Satanas Rei do Inferno!

 

 

 

5. Encerramento

 
 
 
 

Virando-se para o Norte, o satanista deve iniciar o encerramento do Ritual traçando um pentagrama inverso em sua testa e pronunciando: “In Nomine Bhaphometis Demiurgi!” (Em nome de Baphomet, o Demiurgo!) e concebendo que sua mente é destinada a comunhão baphomética.

 
 

O mesmo deve ser feito traçando outro pentagrama sobre o peito, concebendo que suas emoções e sentimentos são destinados à comunhão baphomética, e sobre sua genitália, concebendo que seu corpo físico é destinado a comunhão baphomética.

 
 


Virando-se para o Sul, o magista pode repetir o estabelecimento da árvore da vida ou simplesmente com sua Mão esquerda fazer o sinal de Satã e bradar: “Hail Satã! Sheramphorash!”, encerrando o ritual.