Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Loja
  • Envie seu texto
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Thelema Textos Thelemitas Uma Palavra de Maldição

Uma Palavra de Maldição


Por Frater Sinn

palavra.jpgO Livro da Lei veio ao mundo nos dias 8,9 e 10 de abril de 1904 e.v. como Liber L vel Legis. Em 1917 e.v. Charles Stansfield Jones (Frater Achad) acrescentou um Aleph ao título formal do Livro que então passou a ser tecnicamente designado como Liber AL vel Legis. A Partícula AL corresponde a um dos nomes hebraicos da divindade, podendo ser transliterada como AL ou EL, de acordo com a ênfase dada ao Aleph inicial ou ao sinal tzere, que corresponde foneticamente ao `E'. A reunião destas duas Polaridades numa única Forma produz como resultado a Palavra ALH, a qual pode-se traduzir tanto como maldição quanto como deus &endash; sendo o plural ALHIM/ELOHIM, isto é, deuses. A Palavra hebraica ALH, por sua vez, representa a exata transliteração da Partícula elh (ELH ou ALH). Isto se obtém da seguinte forma:

1. Aleph (a) corresponde ao Eta (e);
2. Lamed (l)  corresponde ao Lambda (l);
3. Heh (h) corresponde ao Epsilon (h).

A Substituição de AL por ALH permite a inclusão do aspecto do Filho ao Binômio Pai-Mãe, como se segue:

1. Aleph representa aqui o Pai - Hadit;
2. Lamed corresponde à Mãe - Nuit;
3. Heh, por sua vez, é o Filho - Ra-Hoor-Khuit.

Não é possível prosseguir adiante nesta linha de raciocínio sem recorrer à Doutrina Esotérica dos Nephlin. Para tanto, seria útil recordar a passagem bíblica pertinente. Ei-la:

"Quando os homens começaram a multiplicar-se na terra e tiveram filhas, vendo os filhos dos deuses que as filhas dos homens era belas, escolheram para mulheres as que dentre elas mais lhe agradavam. (...) Havia então gigantes sobre a terra e mesmo depois que os filhos dos deuses se uniram às filhas dos homens e lhes geraram filhos. São eles os heróis famosos dos tempos antigos."

                                                                                    Livro do Gênesis Cap. VI: vv 1,2 & 4

Não é o propósito deste trabalho discutir a "veracidade" do relato acima bem como a sua aplicabilidade no campo específico da Arte Mágicka. Cumpre-nos aqui tão-somente ressaltar que relatos de congresso carnal entre "deuses" e mulheres mortais constituem a base de muitas das religiões da Antigüidade. Assim, entre os gregos, Zeus conhece Leda sob o aspecto de cisne & Europa sob a forma de touro. Entre os hindus, Vishnu penetra no flanco de Maia sob a forma de um elefante de seis presas. Também entre os cristãos, o Espírito Santo desce sobre a Virgem Maria sobre a forma de uma pomba branca. Estas imagens representam - dentro do nível de realização que nos propomos a comentar - a "descida" de uma Influência Espiritual no plano da manifestação propriamente dita para dar origem a uma Tradição determinada - que é, como tal, sempre de origem inumana. Este processo se encontra perfeitamente indicado nas lâminas pertinentes do Livro de Thoth, pela forma que os personagens encontram-se representados. Assim, temos:

1. Aleph é o Arlequim, que é o Logos ou Spiritus Sanctus;
2. Lamed é a Colombina, que representa a Virgo;
3. Heh é o Cordeiro-Ígneo [Agnus-Agnis] - o produto da união dos dois (1).

A adição de um Heh à Partícula AL tem ainda como resultado o de elevar o cálculo guemátrico da mesma para 36, o que vem, de certa sorte, corroborar o que foi dito acima. O número 36 é um numero solar assim como o são os números 6 - que é sua "raiz" - e 666 - que representa o somatório de todos os números naturais de 1 a 36. Acerca deste último, caberia aqui esclarecer que não se trata apenas do "número da Besta", mas também - por ser um número solar - o número do Cristo. Não existe nisto qualquer gênero de contradição, uma vez que o Cristo e o Anti-Cristo - enquanto opostos simbólicos - nada mais são do que diferentes Polarizações de uma mesma Realidade transcendente. Este fato transparece com suficiente clareza na representação medieval da serpente Anfisbena que se dizia possuir duas cabeças - na qual uma simbolizava o Cristo e a outra Satã - unidas por um único corpo. Fizemos questão de repisar suficientemente estas questões para deixar bem claro de uma vez por todas que qualquer oposição entre THERION e o LOGOS só poderá ter validade em um plano situado aquém da coincidentia opositorum (2).


A Palavra de Restrição foi vibrada no dia 31/10/1997 e.v. às 21:32 horas (fuso local).
 

Notas :

(1) Este se encontra figurado, na Lâmina em questão, pelo Cordeiro carregando uma flâmula que se vê aos pés do Trono (Cf. Atu IV).

(2) Isto é, abaixo de Samadhi.